Economia do Compartilhamento


Dois jovens designers, estavam com dificuldades para pagar o aluguel de seu apartamento. Em 2008, a cidade onde moravam iria sediar uma conferência internacional de design e todos os quartos de hotéis da cidade estavam ocupados. Foi quando os dois começaram a se questionar: “Se não existe mais quartos nos hotéis e temos quartos desocupados no nosso apartamento, por que não alugar para fazer uma grana extra?” 

O site da Airbnb fornece uma plataforma de busca e reservas entre a pessoa que oferece a acomodação e o turista que busca pela locação. Entretanto, o site não teve impulso inicial. Eles identificaram que os anunciantes não estavam fazendo um bom trabalho na qualidade da apresentação de suas propriedades. A solução foi alugar uma câmera profissional para tirar fotos de alta qualidade. Esta tática aumentou quase 3 vezes a quantidade de reservas e no final do mês a receita havia dobrado. 

Airbnb virou uma febre para quem gosta de viajar, se hospedar bem, pagando pouco. A chamada economia do compartilhamento deu início a uma nova forma de consumo, em que as pessoas preferem alugar, tomar emprestado ou compartilhar, em vez de comprar.